quarta-feira, 25 de julho de 2012

A Nudez veste Amor


Me despi de todas as minhas verdades
me vesti da humildade
para poder aprender.
Me despi da fragilidade
para vesti a coragem
e assim me aproximei de um outro ser.
Me despi dos meus conceitos
antigos preceitos
para  o amor merecer.
Me despi dos preconceitos
me desfiz dos medos
para nunca sem amor morrer.
Me despi da incompreensão
vesti a compreensão para tentar entender.
Hoje me despi de tudo,
e na minha nudez pude perceber
que nada veste tão bem uma 
mulher do que a paixão
que avassala o teu ser.
Marcia Morais

12 comentários:

Everson Russo disse...

Um belo despir de alma que se encobre de versos de amor....beijos menina e uma linda noite pra ti.

Anne Lieri disse...

Ai Marcia,que beleza de poesia!Parabens pelo dia dos escritores,amiga!bjs,

Zé Carlos disse...

Lindo como tudo o que você 'poeta' Marcinha... parabéns. Beijão do ZC

**♥✿Franciete-✿♥** disse...

Linda que bom que está de volta, espero que depois de um tempinho que tenha passado no seu casulo de meditação interior.
Por vezes é sempre bom passar algum tempinho só para nós só assim escutamos a voz do nosso coração, só assim começamos a descobrir sinais que de outro modo nem damos por eles, adorei seu poema adoro passar e ficae um pouco com a beleza a que já nos habituou. que seus dias sejão leves como plumas e perfumados com os aromas vindos do mar que te rodeia.
Tenhas sempre o teu anjo ao teu lado para te apoiares nele, mas como já te conheço um do teu interior acho que será o anjo que se apoiará em ti.
Obrigada querida por seres esse ser lindo e maravilhoso que Deus pos no mundo, beijinhos de luz e muita paz no coração...PS: Marcinha desculpa a minha ignorancia mas me explica para que é o convite?

Sonhadora disse...

Minha querida Marcinha

Lindo como sempre ler o mais profundo de ti...é a tua essência.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

R. R. Barcellos disse...

O desnudar da alma exige mais coragem e confiança que o despir do corpo. E nos breves intervalos entre o despir-se e o vestir-se o brilho de tua alma nua me ofuscou.

Beijos. poetisa.

MARILENE disse...

Lindo, Marcia! Quando nos despimos do que nada ajuda a nos compor, podemos mostrar a alma, sem qualquer temor. Bjs.

:.tossan® disse...

Que poema lindo hein! Gostaria saber fazer assim! Beijo

Robson Ojuarah disse...

belos versos parabens

se possível, visite meu blog

www.semente-terra.blogspot.com.br

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Marcia. Lindo poema. O despir-se é necessário em tudo.
Ser transparente é ótimo guardando alguns segredos para si, o que é natural.
O amor entregue é a alma cantando de felicidade.
Concordo que nada veste melhor uma mulher do que a paixão, conforme você disse, e completo dizendo que ela tem de ser encantada e avassaladora!
Beijos na alma, e fique na paz!

Luna disse...

precisamos de nos vestir e despir tantas vezes para aprender a viver
beijinhos

Expedito Gonçalves Dias disse...

Márcia, que texto perfeito. Quantos de nós queremos nos despir de tudo: incompreensão, hipocrisia e preconceitos. Mas estamos atados a tantas correntes...
Grande abraço!