sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Então me calo.


Então me calo diante de todas as minhas incertezas,
não sei como lhe dizer ,por isso, escrevo,
escrevo sem  nenhum  porque , apenas escrevo...
há tanto querer em mim, tanta energia que as vezes se desprende,
vira verso ausente.
Que poderia eu escrever sobre os meus medos,
meus anseios,meu desejos e sonhos sem fim.
Então me calo, e um  silencio profundo nos invade,
já não sei de ti,já não sei de mim,
te vejo entre os arvoredos da cidade,
no sorriso da criança inocente,
naquele vento que por mim passa...
não sei o que dizer,mas,escrevo,
escrevo para preencher a saudade,que vez em quando me invade.
E me deixa assim desolada e triste.
Então me calo,em poemas incertos.frases  desconstruídas, 
e talvez assim não percebas que me calo,
sobre o que mais quero dizer.

Marcia M.

4 comentários:

lis disse...

Escrever é Arte Marcinha, voce sabe!
Que a inspiração seja fértil (para o nosso deleite), e para que 'não se cale' esse sentimento que flui lindamente,
abraço gande

Joop Zand disse...

It's as usual very good Marcia.

I wish you a lovely weekend,

Beijos, Joop

http://joopzandfotografie.blogspot.nl

Malu Silva disse...

Os poemas realmente nos dão a possibilidade de aguentar muitas saudades e desilusões... nos poemas quase sempre nos calamos!!
Um abraço!!!

Vera Lúcia disse...


Olá Márcia,

E quando você se cala através da escrita, deixa fluir o que lhe vai na alma. Lindo!

Arrasou na foto de perfil, hein? Tá linda.

Beijo.