sábado, 30 de novembro de 2013

Saudade Imensa


Sinto uma saudade imensa
dos beijos que não te dei ,
dos abraços que não foram apertados,
das ternuras que nunca senti .
Sinto uma saudade imensa
do teu corpo que nunca toquei
da tua voz que jamais ouvi ,
dos sonhos que contigo ainda não vivi ,
dos momentos que contigo ainda não fiquei.
Sinto tanta saudade  da tua presença
que ainda é tanta ausência ,
saudades do calor que do teu corpo 
ainda não roubei.
Que faço eu  com esta saudade que 
me mata?
Com essa ansiedade e desejo,
que faço com as vontades dos teus beijos ?
Que faço eu?
Com esta saudade imensa que tem seu nome
e se torna imensa dentro do meu peito.

Marcia M.

4 comentários:

John L.S. disse...

Muito belo...

lis disse...

Oi Marcinha
A gente tem que ir driblando a saudade... porque dói que eu sei ... rs
Lindo o poema !!
bom domingo

brisonmattos disse...

faça como eu fiz. Desista de pisar em ovos.

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.