terça-feira, 6 de setembro de 2011

Deixo...


Deixo que a esperança tome conta do meu ser,
que a vida faça o que ela tem que fazer...
Deixo que minha alma flua,e seja leve, deixo marcas de mim,
por onde quer que eu vá...
deixo que me adivinhem,ou apenas me percebam,
deixo que me descubram inteira,e encontrem quem realmente sou.
Deixo que me eternizem em um sorriso,em uma foto em um poema,
deixo que os momentos cheguem a mim como balsamos,como afagos,como presentes para mim.
Simplesmente,
deixo a vida falar por mim.

Marcia Morais

12 comentários:

Don Juan disse...

Ola,

Entre tantas " conchas espalhadas na tua areia " és a que mais brilha....Beijo

Cristal de uma mulher disse...

Marcinha as letras falam do que vc sente amiga do coração.Como sempre pra cima,positiva..

Um beijo bem grandão da amiga que não te esquece de dizer que vc é muito importante aqui nesta terra.

Beijinhos

Zezinha Lins disse...

Belo poema, Márcia. Um lindo feriado pra vc. Beijos!!

Sotnas disse...

Olá Marcia, que tudo esteja bem contigo!

Belo texto, onde expressa além dos teus sentimentos, também o seu lado mais humano, feito todos os viventes, percebe quando é percebida, e compartilha-se em todos os momentos.

E eu grato por tuas visitas e comentários sempre desejo a você e todos ao redor um intenso e feliz viver, enorme abraço e até mais!

R. R. Barcellos disse...

Nada melhor que nos sentirmos soltos dentro de nós mesmos. E nada pior que nos sentirmos presos dentro de nós.
Abraços, moça.

Simone MartinS2 disse...

Boa tarde querida, isso mesmo, deixe que a vida fale por voce, siga feliz sem olhar para tras...bjin e fique com DEUS!
Bom finalzinho de feriado!

José Ramón disse...

Marcia bonita foto y me gusta este poema saludos de José Ramón desde
Abstracción textos y Reflexión.

Desnuda disse...

Querida Marcinha,

Lindo demais, viu? Você é linda e tem seu coração nestes versos lindos que faz. Que Deus a proteja sempre.



Beijos com carinho.

Daniel Costa disse...

Marcinha

Deixar a vida passar pode ser opção, mas nunca deixará sossegar o romantismo do coração.
beijos querida

Fátima Guerra (Mellíss) disse...

Querida Márcia

Assim como as árvores despidas pelo inverno, assim estou eu de braços abertos à espera de uma nova estação. Obrigada por ser uma das flores da minha primavera.
Carinhosamente.

Fátima Guerra (Mellíss)

ValeriaC disse...

Oi minha querida... que lindo este seu jeito de ser e traduzir-se em tão meigos versos...
Bom dia amiga...beijinhos
Valéria

Antonio Pereira (Apon) disse...

Belo poema Márcia!

Deixar fluir a poesia da vida com seus versos reversos, diversos... Escrever, ou reescrever a métrica assimétrica do destino.

Parabéns!

Um grande abraço.