quinta-feira, 12 de abril de 2012

Frestas


Fechei as cortinas para não ver o sol,
o dia raiou e eu ainda não estava pronta para ele,
mas,é impossível não notar a tua presença,
ele vem te buscar para um novo dia,
e com ele vem a certeza de que vivo estas...
em meio aos obscuros da vida,
é a luz que te guia...
e que te convida a viver cada dia.
Levantar...encarar...ou se esconder....esquecer.
As cortinas elas não me deixam esquecer,
que é dia, e que eu preciso viver.
Entre as frestas vejo a luz do sol...
fecho os olhos...penso no bálsamo,
que a vida me oferece,
Ergo-me por hoje,
deixo o resto para o amanhã.
Marcia Morais

Poema escrito em 
13/04/2011
(no meu extinto blog Meus Pensamentos)

6 comentários:

R. R. Barcellos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
R. R. Barcellos disse...

Ressuscita mais Pensamentos, poetisa. Belos eles são em ti.
Beijos.

Vera Lúcia disse...

Muito lindo, Márcia.

O raiar de um novo dia é sempre um convite à vida. Nos traz esperança
e renovação.

Beijos.

manuel marques disse...

Lindíssimo.

Beijo e bom fim de semana.

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Marcinha.

Que maravilha de poema!!
Amei...

Beijos, menina do sol e do mar.

ღα૨gѳђ ખ૯૨ท૯૮ઝܟ disse...

Marcia...vim agradecer teu carinho por mim deixado no blog Relicário....e tanto gostei daqui q te sigo.

Beijao

Margoh